Arquivos da PGR apuram sobre offshores de Guedes e Campos Neto

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS)-A PGR (Procuradoria-Geral da República) entrou com a apuração preliminar sobre as offshores (empresas em paraísos fiscais) ligadas ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Para a Procuradoria-Geral da República, não há razão para levar adiante uma investigação porque não foi demonstrada “nem a infração penal, nem qualquer idônea indicativa de sua existência.” Dou esta terça-feira (30), a manifestação foi assinada pelo procurador da República Aldo de Campos Costa, que atua em auxílio do procurador General da República, Augusto Aras.

A análise preliminar da PGR foi instituída em outubro, após a publicação da série Pandora Papers.

Reportages revelou que o titular da Economia manteve 9,5 milhões em uma offshore nas Ilhas Virgens Britânica desde 2014. Campos Neto, por sua vez, foi apontado como proprietário de três offshores, nas Bahamas e nas Ilhas Virgens Britânicas.

“Tanto o Ministro da Economia, quanto o presidente do Banco Central do Brasil demonstraram nestas peças informações que os bens e valores que possuem em cada uma das offshores mencionadas nos relatórios relativos aos Papéis de Pandora foram informados à autoridade competente na forma, limites e condições estabelecidos pela legislação de regência”, declarou Costa.

Para chegar à conclusão de que não identificou irregularidades no caso, a Procuradoria Geral da República informações avaliadas que foram solicitadas às duas autoridades do Executivo.

Guedes disse que “todas as declarações exigidas na legislação brasileira foram observadas” e que “ano após ano” informou ao Banco Central e ao IRS sua participação acionária no Dreadnsecas International Group Limited, o nome da empresa vinculado ao ministro do exterior.

Argumentou que se afastou da gestão offshore em dezembro de 2018, quando passou a trabalhar no governo de transição do presidente Jair Bolsonaro, assim como de ” toda e qualquer tomada de decisão relacionada aos investimentos da empresa “.

Sustentava ainda mais que os valores transferidos para o exterior inicialmente em 2014 permaneceram até agora, e que, desde janeiro de 2019 até o presente momento, não teria havido levantamentos de valores das empresas de modo a reingressá-los no Brasil.

De acordo com a PGR, o presidente do Banco Central do Brasil informou que” sempre houve a integralidade de seus bens às autoridades brasileiras “.

” Asseverou que ao assumir o cargo, apresentou à Comissão de Ética da Presidência da República da República da República da República da informação, por meio da qual informou a sua / a participação nas empresas do Peacock Assets, localizadas na Comunidade das Bahamas; ROCN Ltda. e Darling International Ventures, ambas sediadas nas Ilhas Virgens Britânicas “, disse a Procuradoria-Geral da República.

No comunicado confidencial da informação, disse o representante do Ministério Público Federal, Campos Neto prometeu” não mover esses investimentos e não interferir na gestão dos mesmos ” enquanto ao leme do BC e que, em conformidade com o declarado, não teria feito ” novos aportes, investimentos ou recursos repatriados que residam no exterior. “

Em nota, os advogados Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso, constituídos para atuar no caso em nome de Guedes e Campos Neto, declararam que o arquivamento do caso é o “reconhecimento de tudo o que [a defesa] vem afirmando desde o início: Paulo Guedes e Roberto Campos Neto, ambos em sua vida pública e privada, já praticou qualquer ato ilícito”.

“Sempre seguiram os critérios éticos e legais mais rigorosos, pautando-se pela transparência com órgãos públicos, informando todas as informações às autoridades, sem qualquer conflito de interesse, omissão ou conflitos com a DCI.”

O DCI é a Declaração Confidencial Da Informação, enviada pelos membros seniores do Executivo à Comissão de Ética Pública da Presidência da República contendo informações sobre patrimônio ou situação de pessoal que possam levantar conflito com o interesse público.

SEGUIR AQUI O

Fonte: www.noticiasaominuto.com.br/economia/1865216/pgr-arquiva-apuracao-sobre-offshores-de-guedes-e-campos-neto?utm_source=rss-economia&utm_medium=rss&utm_campaign=rssfeed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat
online