Bahia Registra Redução Nos Casos De Dengue, Mas Enfrenta Desafios Com Outras Arboviroses

SAÚDE

O Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE) da Bahia divulgou em sua última reunião, realizada nesta terça-feira (7), que o estado está apresentando uma tendência de queda nos casos de dengue. Apesar disso, outros desafios relacionados a arboviroses ainda persistem.

De acordo com a avaliação do COE, a situação da dengue na Bahia está em declínio, com 197 municípios em epidemia da doença, 95 em risco e 83 em alerta. Esses números representam uma melhora significativa em relação ao período anterior, quando mais de 270 municípios estavam em epidemia.

A secretária da Saúde do Estado, Roberta Santana, destacou que as medidas adotadas pelo Governo da Bahia, em conjunto com o esforço das equipes de saúde e parcerias com diversos setores, têm sido eficazes. Mais de R$ 21 milhões foram investidos em ações que incluem assistência, distribuição de medicamentos e insumos, capacitação de profissionais, uso do Ultra Baixo Volume (UBV), conhecido como “fumacê”, e campanhas de conscientização da população.

Entre as ações realizadas estão a distribuição de mais de 200 mil medicamentos, quase 9 mil kits para agentes de endemias e 250 bombas costais, além da capacitação de quase 20 mil profissionais e a realização de 20 ações de mobilização intersetorial.

Entretanto, os números ainda são expressivos. Desde o início do ano, foram notificados 181.211 casos de dengue na Bahia, representando um aumento de 719,3% em comparação com o mesmo período do ano anterior. O município de Vitória da Conquista lidera em número de casos, com 28.658 notificações.

A taxa de letalidade da dengue no estado é de 2,9%, menor do que a média nacional. No entanto, até o momento, 63 óbitos foram confirmados em diversos municípios, com os últimos registros em Vitória da Conquista, Serrinha e Teolândia.

Além da dengue, a Bahia enfrenta desafios com outras arboviroses. Foram registrados 12.462 casos prováveis de Chikungunya em 2024, representando um aumento de 40% em relação ao ano anterior, com 11 municípios em estado de epidemia e quatro óbitos registrados. Em relação ao Zika, houve um incremento de 172%, totalizando 2.048 casos prováveis notificados, mas nenhum óbito registrado.

A Febre do Oropouche também preocupa, com 356 casos confirmados pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) na Bahia, principalmente nas regiões Leste e Sul.

Até o momento, o estado aplicou 143.584 das 170.540 doses de vacina contra a Dengue recebidas.

Diante desses números, o governo reforça a importância da continuidade das ações de combate e prevenção, enfatizando a necessidade de conscientização da população e o engajamento de todos os setores para conter a propagação das arboviroses na Bahia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *