Gre-Nal 434 remonta clássicos que marcaram queda ou alívio no Brasileiro

PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS)-O Gre-Nal marcou para o 19h deste sábado (6), no Beira-Rio, válido pela 30. ª rodada do Campeonato Brasileiro, rememoriais outros clássicos em que um dos arquirrivais foi ameaçado de queda-o embate já era maneira de escapar e também sublinhou rebaixamentos.

Internacional e Grêmio somam três descendentes na história: dois dos tricolores, e um dos colorados. Em todos esses cenários, o Gre-Nal foi inserido de uma forma particular. Hoje ameaçado é o Grêmio, que somou, em 28 partidas, 26 pontos, sete a menos do que o Bahia, primeiro time fora do Z-4.

Uma vitória mal sucedida contra o adversário tradicional pode ser fatal, mas uma vitória pode catapultar a expectativa da equipe do Vagner Mancini.

Já pelo lado colorido a missão é afundar o rival e, de quebra, ganhar fôlego na próxima Libertadores -hoje ele é o sétimo colocado, com 41 pontos, a três do G-6.

A primeira queda para a Série B entre os gigantes de Porto Alegre foi do Grêmio, em 1991. Naquela época, o calendário era diferente, com o Brasileiro indo de fevereiro a junho. O formato também não foi o mesmo.

Na primeira fase, as 20 equipes da competição se enfrentaram em um único turno. A partir disso, os quatro melhores classificados progrediram para a próxima fase, e os dois últimos foram rebaixados.

Aquele ano, o clássico aconteceu na terceira rodada da competição, disputado em uma noite de segunda-feira e fechado em 0 a 0. Jornais da época relataram situações comuns a um Gre-Nal. Houve confusão, briga, chegadas, violência e casa cheia no Olympian, que recebeu mais de 45 pessoas.

“Um jogo muito disputado no meio-campo e quase nulo em ações de ataque, tornando-se, muitas vezes violento”, definiu o Jornal Correio do Brasil, citando também que, no final da partida, o técnico do Inter, Claudio Duarte, quase agrediu o juiz.

“A torcida mereceu um clássico da melhor qualidade”, disse o chamado Zero Hora, no dia seguinte ao jogo.

No final da primeira fase daquele Brasileiro, a equipe tricolor, com 12 pontos, foi em penúltimo e, portanto, acabou rebaixado.

Em 2004, quando o Grêmio amargou sua segunda queda, o formato do Brasileiro já era de pontos rachado. Mas, ao contrário da versão atual, foram 24 clubes em vez de 20 na competição. Na ocasião, a equipe tricolor terminou por último, com 39 pontos.

Na reta final daquele campeonato, um clássico Gre-Nal ajudou a afundar o Grêmio em vez disso. O Inter já havia vencido o primeiro confronto redondo por 2 a-0, mas foi o máximo que mais pesou, por ter jogado os tricolores na lanterna da competição.

Em 23 de outubro, os reds venceram 3 a-1 em plena Olimpíada, em jogo válido pela rodada 37ª. O Inter contou com gols de Diego, Rodrigo Paulista e Fernandão. O Grêmio teve Claudiomiro expulso ainda no primeiro tempo e só conseguiu descontar Anderson nos acrésciões da segunda etapa.

Já em 2016, quando o rebaixamento foi o Inter, apenas o Grêmio ganhou clássicos naquela edição do Brasileiro, na casa do arquirrival, por 1 a 0, em duelo válido pela primeira rodada. A vitória colocou o time tricolor na vice-liderança e tirou o rival do G-4, o que não foi nada trágico naquele momento.

Na ocasião, a semana antes do duelo foi marcado por áudio vazado de Argel Fucks, então treinador colorado, em que ele prometeu que sua equipe iria “passar o trator sobre” os verdes.

No clássico válido para o segundo turno, já no Grêmio Arena, as equipes voltaram a se enfrentar com os ânimos furiosos.

Edilson e Rodrigo Dourado trocaram socos e acabaram expulsos, William e Bolaños se reuniram depois que o lateral fraturou a mandíbula do atacante em um anterior clássico, e o que restou em vontade de lutar faltou em capacidade de vencer, com placar final em 0 a 0.

Sem gols, o cenário não foi tão ruim para o Inter acabar com aquela rodada 32ª. A equipe treinada por Celso Roth havia diminuido da zona de rebaixamento e dormido em 15º, enquanto o Grêmio foi o nono colocado.

No entanto, foi justamente o empate com o arquirrival que abriu caminho para a queda colorida. Depois dele, o Inter só venceu um dos seis jogos que teve até o fim do campeonato, caindo para a posição 17ª e sendo rebaixado para a Série B pela primeira vez.

Além dos clássicos que envolvaram quedas, os gremistas preferem entrar em pânico agora para um embate que aconteceu em 2003. Foi quando o Grêmio, que entrou em campo na última posição, bateu o Inter por 1 a-0 em um Beira-Rio lotado com o gol de Christian.

Na ocasião, os três pontos foram insuficientes para que a equipe tricolor deixasse a zona da degola, mas serviu como impulso para uma campanha de recuperação. A equipe azul terminou o campeonato em 20º, fora da zona de rebaixamento daquele ano, que incluiu apenas os 23º e 24º colocados.

Estádio: Beira-Rio, Em Porto Alegre (RS)

Horário: 19h (de Brasília) este sábado (6)

Arbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)

Transmissão: Premiere

SEGUIR AQUI

Fonte: www.noticiasaominuto.com.br/esporte/1857792/gre-nal-434-remonta-classicos-que-marcaram-queda-ou-alivio-no-brasileiro?utm_source=rss-esporte&utm_medium=rss&utm_campaign=rssfeed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat
online