Salvador Capital Afro: Um Espetáculo Inesquecível Celebrando os 475 Anos da Cidade

CULTURA/ENTRETENIMENTO

No cenário paradisíaco da Baía de Todos os Santos, o espetáculo “Salvador Capital Afro” brilhou intensamente, iluminando a praça Maria Felipa, no Comércio, com uma celebração vibrante em honra aos 475 anos da capital baiana, celebrados em 29 de março.

Conduzido pelos talentosos cantores Larissa Luz e Carlinhos Brown, o evento contou com a participação especial de renomados artistas como Seu Jorge, Luedji Luna e a Banda Didá. Sob a direção artística de Gil Alves e musical de Thiago Pugas (Pugah), o espetáculo mergulhou nas profundezas da cultura baiana, exaltando seus símbolos, movimentos e artistas que moldaram e continuam a moldar a identidade única de Salvador.

O repertório, cuidadosamente selecionado, trouxe à tona os sucessos que marcaram a música baiana e brasileira, com homenagens emocionantes a ícones como Gilberto Gil, Raul Seixas e Gal Costa. Clássicos como “Andar com Fé” de Gilberto Gil, “Ashansu” de Carlinhos Brown, “Divino Maravilhoso” de Gal Costa e “Metamorfose Ambulante” de Raul Seixas, ecoaram pela praça, envolvendo o público em uma atmosfera de pura energia e nostalgia.

Seu Jorge emocionou a plateia com sua interpretação única, destacando a relação profunda entre Salvador e a riqueza da escrita que permeia o Brasil. Entre seus sucessos, destacaram-se “Pessoal Particular” e “Uma Brasileira” dos Paralamas do Sucesso. Enquanto isso, Luedji Luna e a Banda Didá exaltaram a força feminina da cidade, entoando hits como “Alegria da Cidade” de Lazzo Matumbi e “Banho de Folhas”.

Um momento especial do evento foi a participação da Escola de Samba Viradouro, que apresentou o enredo “Viradouro de Alma Lavada”, uma homenagem tocante às Ganhadeiras de Itapuã, vencedora do Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro em 2020.

O público, extasiado, cantou junto com os artistas, envolvendo-se completamente na atmosfera mágica do espetáculo. José Eduardo Ferreira Santos, um dos espectadores, expressou sua emoção diante da grandiosidade do evento e da beleza singular de Salvador.

Dudu Falcão, diretor da Viradouro, expressou a honra da escola de samba em participar dessa celebração única, destacando a importância de homenagear a ancestralidade e a energia positiva que Salvador irradia.

Pedro Tourinho, secretário municipal de Cultura e Turismo, afirmou que o espetáculo encerrou com chave de ouro as festividades do aniversário da cidade, ressaltando a relevância da cultura negra de Salvador para o Brasil e o mundo.

Isaac Edington, presidente da Saltur, elogiou o sucesso das celebrações do aniversário da cidade, destacando a contribuição significativa para a economia criativa local.

Os festejos continuaram no Parque da Cidade no domingo (8), com a Banda Mel celebrando 40 anos de trajetória e relembrando os clássicos do axé que marcaram gerações, encerrando assim com chave de ouro esse período de comemorações que aqueceram os corações dos soteropolitanos e de todos os amantes da cultura baiana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *